Leitura: 3 min

Tecnologia revoluciona gestão de projetos habitacionais para empreendedores

São inúmeras as oportunidades que orbitam os projetos habitacionais e o uso aliado de tecnologia. Estas oportunidades giram desde a realização do sonho da casa própria até chances de bons investimentos. No entanto, pelo setor imobiliário ser tão amplo, tanto na questão de negócios quanto no quesito territorial, encontrar as melhores soluções pode não ser uma tarefa tão simples.  

E é neste ponto que a tecnologia vem revolucionando a gestão de projetos habitacionais. Principalmente para empreendedores regionais, ao aproximar produtos e interessados e desatar nós amarrados pela burocracia. 

Possibilidades 

A tecnologia aliada aos projetos permite conectar o mercado financeiro e imobiliário, atendendo investidores, desenvolvedores, incorporadores, corretores e interessados em adquirir um imóvel. Trazendo uma visão mais ampla dos negócios e, claro, das oportunidades. 

Além disso, programas estão sendo utilizados para reduzir a burocracia dos processos, garantindo mais agilidade e segurança para as transações. 

Na prática 

A holding Trinus Co, a qual a gestora TG Core pertence, é um exemplo de atuação com foco nessas ferramentas e transformações. A companhia tem como objetivo usar a tecnologia para preencher gaps entre os mercados financeiro e imobiliário. Dessa forma, há o objetivo de reduzir a burocracia para seus clientes. 

Em uma mesma plataforma, a Trinus oferece financiamento, desenvolvimento e aprovação de projetos construtivos e serviços jurídicos para compradores de imóveis, desenvolvedores e investidores imobiliários. Essas soluções incluem contabilidade, monitoramento de construção, gerenciamento de processos e auditorias.  

Com atenção às possibilidades tecnológicas, é possível centralizar dados, consolidar fluxos de caixa, fazer análises mais ágeis, seguras e também preditivas. São soluções de A a Z para o mercado habitacional. 

Com isso, a Trinus leva ao mercado um novo conceito de companhia, a landtech, que junta os mercados financeiro (fintech), o imobiliário (proptech) e o legal (lawtech). E leva isso não apenas para os grandes centros urbanos, mas, principalmente, para o interior do Brasil.  

Além dos centros urbanos 

Com todas essas ferramentas, a atuação da Trinus traz a chance de uma melhor governança, sobretudo, para pequenos e médios empreendedores de todas as partes do Brasil.

Conforme a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), apesar da cautela em relação às vendas, o segmento deve seguir com o planejamento para os lançamentos em 2022. 

Os dados, apurados de 20 de janeiro a 13 de fevereiro deste ano, junto a 55 empresas construtoras e incorporadoras, revelam que no 4º trimestre de 2021, a demanda geral da procura de imóveis se manteve após leve retração no trimestre anterior. A curto e médio prazo o empresariado do segmento imobiliário residencial espera a manutenção nas vendas. 

Em comunicado oficial, o presidente da Abrainc, Luiz França, diz que as expectativas favoráveis em relação aos lançamentos e aquisição de terrenos são indicativos positivos para o setor neste ano.  

“Eles nos mostram que os empresários esperam manter o ritmo do negócio ao invés de reduzi-lo, apesar, é claro, da cautela exigida pelo momento econômico. Ainda assim, a expectativa de elevação de preços dos imóveis deve aquecer o mercado e trazer mais oportunidades para todos. No geral, os empresários sinalizam que o desempenho do setor neste ano deve ser similar ao de 2021”, destaca. 

Leque de oportunidades

Com suporte nas áreas de auditoria financeira, contabilidade, monitoramento de obras e gestão de processos, empreendedores de todas as regiões do país entram no circuito de bons negócios e boas expectativas e não apenas aqueles de centros urbanos como São Paulo e Rio de Janeiro. E isso é um leque de oportunidades. 

Um dos olhares da Trinus é para a região conhecida como Matopiba. A área compreende parte dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia e é considerada a grande fronteira agrícola nacional, com bastante potencial de crescimento. 

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a área concentra cerca de 10% da produção brasileira de grãos e fibras, principalmente soja, milho e algodão, com perspectivas de ampliação, o que levará expansão para toda a região. 

Está no plano da Trinus firmar parcerias em empreendimentos localizados nesta área, assim como no Cinturão da Soja (nos estados do Pará, Amapá, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), triângulo mineiro, interior paulista e estado de Goiás. 

Em Goiás, por exemplo, no primeiro semestre de 2021, a quantidade de unidades lançadas disparou em relação ao mesmo período de 2020: foram disponibilizadas 3.501 propriedades contra 2.330 lançadas no ano anterior, conforme dados divulgados pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO). 

Investimentos 

O objetivo da companhia é modernizar o mercado e viabilizar projetos, mas também oferecer boas opções de investimento.  

Os recursos dos projetos, atualmente, virão do TG Ativo Real Fundo de Investimento Imobiliário (Código da Bovespa: TGAR11), gerido pela TG Core, especializada nesse tipo de ativo, e que conta com empreendimentos de diversas partes do país. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima