Leitura: 4 min

É possível investir com pouco dinheiro. Descubra como!

De maneira geral, a maioria das pessoas tem uma visão muito fora da realidade quando o assunto é investimento. Por conta disso, investir com pouco dinheiro chega até a parecer algo impossível e boa parte das pessoas acredita que é necessário ter muito dinheiro para aplicar e obter uma boa rentabilidade.

Enquanto é verdade que existem diversos produtos para diferentes faixas de patrimônio, os quais vão oferecer condições de rentabilidade diferenciadas, também é verdade que existem diversas opções que possibilitam aportes com pequenas quantias, permitindo que o investidor atinja bons resultados e cultive reservas para o futuro.

Pensando nisso, separamos excelentes dicas de como investir com pouco dinheiro. Confira!

Como investir com pouco dinheiro?

Organize as suas finanças

Se você não tem o hábito de anotar suas despesas, agora é a oportunidade de começar a cultivá-lo. Em um primeiro momento, essa informação será fundamental para que você consiga organizar as suas finanças.

Anote tudo, pois com esses dados você poderá analisar para onde o seu dinheiro vai e a partir daí definir prioridades e estabelecer o quanto você pode separar.

Defina seus objetivos e metas

O principal benefício de determinar as suas metas e objetivos é ter bem claro aonde você quer chegar. Aqui, antes de dar forma aos seus desejos, é importante definir por que você quer mais dinheiro. O que esse montante significa para sua vida? Com isso, você consegue saber quais os motivos de você buscar o que busca e isso servirá para você manter-se firme no caminho.

Feito isso, você estará pronto para anotar os seus objetivos e metas. Vale não apenas escrever o que quer, mas estipular valores e prazos. Dessa forma, você mantém o seu foco e consegue estabelecer, de forma objetiva, como e quando será possível alcançar o seu objetivo.

Escolha o investimento adequado

Você já definiu os seus objetivos e a essa altura já tem uma ideia de quanto tempo levará para atingi-los. Agora é hora de escolher as aplicações que ajudarão você a chegar até lá.

Simplificando, existem dois grupos de investimento no mercado: renda fixa (categoria mais estável, na qual é possível estimar a rentabilidade ao final da aplicação) e variável (onde o retorno é volátil e difícil de prever). Dito isto, vamos entender quais a aplicações destas categorias possuem um valor mínimo baixo.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um dos mais tradicionais investimentos de renda fixa. São um título disponibilizados pelo governo federal, cuja rentabilidade é baseada na taxa Selic (taxa básica de juros da economia). Os juros negociados nesses títulos podem ser prefixados, indexados à inflação ou atrelados diretamente à Selic, o que configura uma variedade de formas para se capitalizar o investimento.

Além disso, é possível investir título com muito pouco dinheiro, à partir de R$ 30 reais, aproximadamente. Cada título oferece prazos de vencimentos distintos, permitindo ao investidor optar por títulos de curto, médio ou longo prazo, de acordo com o seu próprio horizonte de investimento. Finalmente, possuem uma alta liquidez, pois o Tesouro Nacional recompra os títulos diariamente.

Mas é importante ficar atento: apesar desses ativos possuírem rentabilidade definida ao final do seu vencimento, caso o investidor opte por vender o título antes disso, ele terá que vender ao preço de mercado, o qual pode variar de forma significativa de acordo com as condições de mercado.

Ações

Um investimento tradicional de renda variável, as ações são bastante conhecidas no mercado e, apesar da facilidade de acesso (necessário apenas abrir conta em uma corretora), são propensas a altos riscos. Por conta da alta volatilidade não são aplicações adequadas para todo perfil de investidor.

Em relação ao valor mínimo para investimento, a negociação é padronizada em lotes de 100 ações. Cada empresa possui preços distintos, mas no geral são negociados em faixas de algumas dezenas de reais. Como exemplo, se uma ação está cotada em R$ 20, o investimento mínimo nesta companhia será de R$ 2.000 (lote de 100 ações).

Caso o investidor prefira comprar ações em quantidade inferior ao lote tradicional de 100, ele pode optar pelo mercado fracionário, onde é possível negociar qualquer quantia de ações. Isso possibilita o aporte de recursos em quantias ainda menores, com maior flexibilidade.

Também deve-se levar em conta as taxas cobradas na operação, como corretagem, custódia e emolumentos, o que pode encarecer o investimento. Neste caso, é importante a escolha por uma corretora com taxas mais atrativas.

Fundos de investimentos imobiliários

Fundos de investimento imobiliários são uma boa escolha já que, apesar de serem ativos de renda variável, tendem a ser menos voláteis que ações de empresas, por exemplo. Além de oferecerem a vantagem de estarem atrelados a imóveis e distribuírem rendimentos periódicos aos cotistas, obtidos a partir das receitas do fundo. Essa estrutura atende investidores com necessidade de um fluxo recorrente de dividendos e também investidores com horizonte de longo prazo, pois conseguem potencializar a rentabilidade ao reinvestir os dividendos recebidos.

Em relação ao mínimo do investimento, assim como as ações, possuem uma variedade de preços bastante abrangente. No mercado, é possível encontrar tanto cotas por menos de R$ 10 quanto acima de R$ 3 mil. A diferença é que não há lote mínimo de investimento, sendo possível comprar somente uma cota, facilitando o acesso à investidores com diversos perfis.

Com as dicas que mostramos aqui, você viu que não só é possível investir com pouco dinheiro, como também não é difícil melhorar a sua vida financeira. Reforçamos que é fundamental você contar com boas informações, analisar com cuidado todas as possibilidades e diversificar a sua carteira para buscar diminuir o seu risco geral.

Este texto foi útil? Então não deixe de compartilhá-lo com os seus amigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
    Rolar para cima