Leitura: 3 min

Opção para aposentadoria, Fundos imobiliários passam de um milhão de cotistas em 2020.

Os Fundos de Investimento Imobiliários (FIIs) cresceram em 2020. Em agosto, a modalidade atingiu a marca histórica de um milhão de investidores e, segundo dados da B3, os  FIIs aumentaram seu patrimônio líquido em R$ 32 bilhões entre novembro de 2019 e setembro de 2020.  

Também cresceu o número de ofertas de FIIs na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Ao todo, foram registrados 509 novos fundos, 9,6% a mais que em 2019. Apesar da pandemia de Covid-19, o mercado imobiliário teve bom desempenho no ano de 2020 e o segmento promete seguir em alta em 2021. 

Com os fundos imobiliários ganhando cada vez mais destaque como opção de diversificação de carteiras, surge a questão: eles também são uma boa escolha para quem está planejando a aposentadoria? 

A resposta é sim, pois oferecem dividendos recorrentes e, além disso, grande potencial de valorização das cotas. Mas, antes de correr atrás de um FII, é necessário entender como funciona o planejamento de previdência e como ter esse tipo de ativo na carteira pode corroborar com esse planejamento.  

Na teoria, é simples. Na prática, requer preparação e persistência. Por isso, apresentamos algumas dicas a seguir que lhe ajudarão nesse processo. 

Envelhecemos, mas ainda não aprendemos a poupar 

Os brasileiros estão ficando mais velhos. Segundo dados do Banco Mundial, a expectativa de vida da nossa população deu um salto nas últimas cinco décadas. Passou de uma média de 54 anos, em 1960, para 75 anos, em 2020. Com essa evolução, se aproximou de países desenvolvidos, como os Estados Unidos, onde atualmente a população vive, em média, por volta de 78 anos.  

Pela falta de acesso à educação financeira no passado, muita gente agora idosa sofre por não ter uma previdência que supra suas contas básicas. Segundo dados do IBGE do último trimestre de 2019, 25% dos idosos aposentados seguem ativos no mercado de trabalho. 

Pelo andar da carruagem, esse cenário não está próximo de mudar: brasileiros jovens continuam sem poupar. Outra pesquisa, realizada em setembro de 2020 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), com 813 consumidores jovens, aponta que 48% dos brasileiros adultos não controlam suas vidas financeiras, seja porque confiam na memória para anotar as despesas, seja por não terem ideia de quanto ganham e gastam ou ainda, porque pedem para algum parente próximo fazer essa tarefa por eles.  

Se você não quer fazer parte desse time e deseja chegar à aposentadoria sem depender de ninguém, comece agora mesmo a se educar financeiramente.  

sua vida em ciclos 

A teoria de “ciclos da vida financeira” divide nossa vida em “fases” necessárias para alcançar a tão sonhada independência financeira: 

1 – Acumular – dura até por volta dos 40 anos e é a época de, como o nome sugere, acumular recursos e investimentos; 

2 – Aumentar: é a época da meia idade, momento de lapidar os investimentos de acordo com seu perfil de risco e trazer maturidade para a sua carteira; 

3 – Preservar: aposentadoria não significa sentar e relaxar. Você já terá chegado à estabilidade, mas é sempre bom manter o olho aberto no patrimônio e pensar na sucessão para os filhos. 

Tem interesse em saber mais? Neste post falamos com mais detalhes sobre o assunto. E não desanime se achar que você está “atrasado” em alguma das fases. Nunca é tarde para se educar financeiramente, viver melhor e deixar um patrimônio para quem amamos. 

Está poupando? É hora de aprender a investir! 

Montar um portfólio de investimentos é uma tarefa complexa e é consenso no mercado financeiro que um grande patrimônio não se cria da noite para o dia. Não é nenhum segredo que combinar ativos de rendimento mais alto – com risco proporcionalmente maior – com outros mais conservadores (maior liquidez, porém com rentabilidade mais baixa) é o melhor caminho para quem quer os melhores resultados no longo prazo.  

Como utilizar Fundos de Investimento Imobiliário para sua aposentadoria? 

Em sua grande maioria, os FIIs não tem duração predefinida e, por este motivo são considerados investimentos congruentes para um planejamento de longo prazo, como é o caso da aposentadoria. Além disso, o pagamento corrente de dividendos, a constante busca dos gestores por estratégias que potencializem a rentabilidade e a estabilidade do mercado imobiliário são  características atrativas que os investidores valorizam em uma carteira de FII para a estruturação desse tipo de planejamento. . 

A TG Core conta com um produto  para quem procura investimentos alinhados com essas  características. O TG Ativo Real FII (listado na B3 como TGAR11) é  um Fundo de Investimento Imobiliário Híbrido, isto é, conta com investimentos em ativos de recebíveis imobiliários (aluguéis, por exemplo) e de desenvolvimento imobiliário (como a construção de empreendimentos).  

O portfólio desse fundo oferece uma combinação diversificada, pois ao mesmo tempo em que há distribuições mensais a partir do fluxo de caixa dos recebíveis, também pode-se obter lucro com a valorização das cotas de desenvolvimento imobiliário. Ou seja: além de oferecer pagamentos regulares para a aposentadoria, as cotas de desenvolvimento podem trazer rentabilidades mais altas,  reduzindo as chances  de depreciação do seu patrimônio pela inflação. 

Acesse o site de relacionamento com investidores e saiba tudo sobre o TG Ativo Real FII. É só clicar aqui!  

Ainda não sabe o que são Fundos de Investimento Imobiliário? Leia esta matéria que explica sobre o tema 

2 comentários em “Opção para aposentadoria, Fundos imobiliários passam de um milhão de cotistas em 2020.”

  1. Pingback: Aumento de preços dos materiais traz desafios para setor de construção civil em 2021 – Blog TG Core

  2. Pingback: Mercado de Multipropriedade Imobiliária – Blog TG Core

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima