Leitura: 5 min

Perfil de investidor: por que ele é importante e como saber o seu?

Mais do que encontrar o investimento correto, conhecer qual é o seu perfil de investidor é um passo fundamental para lidar com o mercado financeiro e ser mais certeiro. Porém, às vezes, essa não é uma informação clara, até para investidores experientes.

Isso pode ser um problema para conseguir escolher investimentos que tenham mais a ver com os seus objetivos.

Pensando nisso, vamos mostrar para você quais são os perfis de investidor e por que eles são importantes. Confira!

O que é o perfil de investidor?

Existem diferentes tipos de perfil de investidor e, de maneira geral, podem ser categorizados como conservador, moderado e agressivo. Essas categorias foram estabelecidas com o objetivo de medir a tolerância ao risco que cada pessoa está disposta a assumir.

Porém, para chegar a esse resultado, é preciso analisar algumas características do investidor, como idade, objetivos, experiência no mercado e situação financeira. Além disso, saber o quanto o interessado é capaz de economizar por mês pode ser um grande indicador.

Qual é a sua importância?

Um dos principais pontos em relação ao perfil de investidor é que o interessado pode compreender quais são as características dos investimentos ideais para o seu objetivo. Ao descobrir se ele é moderado ou agressivo, por exemplo, pode entender que investir só em ativos de renda fixa não é a melhor alternativa para ele.

Afinal, são aplicações mais conservadoras, que costumam ter um rendimento mais contido.

Quais são os perfis de investidor?

Como explicamos anteriormente, existem três tipos de perfil. Apresentaremos mais detalhes sobre eles, a seguir.

Conservador

Esse é o perfil dos investidores que têm pouca ou nenhuma tolerância a risco. Essas pessoas, quando vão investir, estão mais interessadas em segurança. Não conseguem lidar bem com as oscilações do mercado e, por isso, procuram ativos que têm um crescimento mais estável.

Para esse tipo de pessoa, investir em ações da bolsa, por exemplo, não é uma opção. Os conservadores costumam ser pessoas com patrimônio já definido que procuram mantê-lo, ou investidores iniciantes que desejam ter um fundo de reserva.

Os ativos de renda fixa são as melhores alternativas para esse perfil de investidor, poque costumam ter menos variações e prazos de vencimento definidos. É possível saber também quais os parâmetros de rentabilidade, já que seguem índices da economia, como a SELIC e o IPCA.

Vale a pena ressaltar que o perfil de investidor conservador é mais preocupado com a proteção patrimonial do que com a própria rentabilidade dos seus investimentos. Isso é simples de ser observado pelo fato de as aplicações de renda fixa terem percentuais de retorno quase empatados com a inflação.

O investidor conservador, geralmente, prefere optar por aplicações como a Poupança, Títulos do Tesouro Direto e, em alguns casos, até mesmo a previdência privada, sendo que essa já seria um pouco mais “desafiadora” para ele.

Moderado

Os investidores moderados correspondem a um perfil intermediário. São pessoas que procuram manter os ativos de renda fixa, mas também buscam balancear sua carteira com investimentos mais arriscados. Dessa forma, eles conseguem aumentar os seus lucros.

Geralmente, são pessoas jovens que têm uma carteira de investimentos mais diversificada e que estão construindo o seu patrimônio. Uma característica interessante é que eles costumam colocar a maior parte dos seus recursos em renda fixa, pensando em médio a longo prazo.

O moderado é aquele investidor que sabe que a rentabilidade dos ativos de renda fixa é muito pequena e quer potencializar seus ganhos, porém, com certo nível de proteção. Esse tipo de investidor passou a olhar com outros olhos para a Bolsa de Valores, especialmente depois de o Governo Federal ter cortado brutalmente a taxa de juros, o que impactou diretamente a rentabilidade da renda fixa.

O investidor moderado não costuma aplicar seu dinheiro na poupança, pois ele sabe que, apesar do risco quase zero, ela proporciona uma rentabilidade praticamente nula. Sendo assim, ele opta por aplicações um pouco mais arriscadas, mas que também são muito raras de fazer alguém perder dinheiro, como Letras de Crédito, Certificado de Depósito Bancário, entre outros.

Alguns também podem optar por colocar uma parte pequena do seu patrimônio em ações de empresas mais sólidas e que não oscilam com tanta frequência, como Petrobrás e bancos. Outra aplicação que vem sendo muito buscada são os Fundos de Investimento Imobiliário.

Agressivo

Ao contrário do conservador, o perfil agressivo corresponde às pessoas que aceitam e gostam de risco. Os investidores com esse perfil estão dispostos a aplicar em ativos arriscados e não têm aversão a perdas em curto prazo, pois estão pensando no potencial futuro da aplicação.

Eles costumam ser pessoas interessadas em aumentar o seu patrimônio, que contam com um grande conhecimento do mercado e, por isso, tendem a calcular os riscos e se planejar para médio e longo prazo. Os investimentos ideais para esse tipo de perfil são as ações de grandes empresas e de empreendimentos com bom histórico, e que apresentem um grande potencial de valorização.

Apesar de o investidor agressivo estar mais exposto a risco, não significa que ele gosta ou quer perder dinheiro. Entretanto, esse investidor calcula bem os riscos que uma aplicação pode ter e executa suas ordens ciente de que a perda pode acontecer — porém, as chances de ganho compensam essa possibilidade.

O investidor arrojado faz operações no mercado futuro que furam poucos dias ou, até mesmo, alguns minutos. Ele também opera com ações de empresas que não têm tanta solidez no mercado, podendo, inclusive, ganhar dinheiro em dias de queda dos ativos. Mas essa última seria uma operação de maior nível de complexidade.

Como definir o seu perfil de investidor?

Saber o seu perfil de investidor é um passo importante para fazer escolhas corretas a respeito dos seus investimentos. Também é um bom parâmetro para saber qual o seu limite de exposição ao risco. É importante frisar que, independentemente do seu perfil, a diversificação dos investimentos é um aspecto fundamental para ter sucesso no seu planejamento.

Portanto, se você não consegue imaginar na hipótese de perder um único centavo, esqueça ações, mercado futuro, commodities e outros títulos comercializados na Bolsa. O ideal é que você opte pela renda fixa.

Porém, se tem um patrimônio razoável e pretende colocar uma pequena parcela em risco, pode ser que o seu perfil seja o moderado. O arrojado é uma pessoa que já deve ter experiência de mercado e conhecer bem cada um dos ativos que ele opera. Logo, ele é um dedicado estudioso — e pode demorar anos para chegar nesse nível.

É importante saber que o arrojado não é um aventureiro que tem muito dinheiro para “queimar”, mas sim, alguém que já conhece bem o mercado e passou por diversas dificuldades até alcançar esse ponto.

É muito provável que um investidor moderado evolua e passe a fazer operações com maior grau de risco. Tudo dependerá de seus objetivos e do tempo que você dedica para estudar o mercado financeiro.

Por fim, é importante que você defina o seu perfil de investidor com exatidão. Também, que sempre observe as suas características antes de entrar em alguma operação, seja ela no mercado financeiro, seja em algum título bancário ou fundo de investimento.

Se você gostou deste artigo, dissemine essas informações entre seus amigos e familiares. Para fazer isso, é muito fácil, basta compartilhar este conteúdo em suas redes sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
    Rolar para cima