Leitura: 3 min

O que é dividend yield? Conheça esse importante parâmetro para a seleção de FIIs

Na hora de investir, você precisa estar ciente de algumas informações imprescindíveis que estão ligadas à modalidade, aos riscos e principalmente aos retornos que determinado produto pode trazer. Por exemplo, se você planeja comprar cotas de fundos de investimento imobiliário (FIIs), um dos principais indicadores que poderá ser utilizado para as suas decisões será o dividend yield (DY). 

Ele serve como uma métrica do desempenho de um investimento em relação ao quanto ele paga de proventos aos cotistas.  

Hoje, 382 FIIs estão listados na B3 (B3SA3), a bolsa brasileira. No todo, 1,2 milhão de investidores são cotistas desses fundos que atendem a 15 segmentos diferentes, de acordo com informações do FII Brasil.  

Nesse sentido, cabe ressaltar, portanto, que o dividend yield vai apresentar variações de um fundo para o outro e também entre categorias.  

 Fundos de tijolo, concentrados em imóveis físicos como galpões logísticos, shoppings e lajes corporativas; fundos de papel, ligados majoritariamente a papéis de renda fixa como CRIs e LCIs; e fundos híbridos, que misturam ativos imobiliários, títulos mobiliários e até cotas de Fundos de Fundos (FOFs), têm desempenhos diferentes entre si.  

 
Panorama geral dos FIIs 

Alguns FIIs sofrerão maior volatilidade em seus resultados, dependendo dosindicadores aos quais estiverem atrelados, como por exemplo, os centros comerciais e shoppings, prejudicados recentemente pelas medidas de distanciamento social, enquanto outros serão menos afetados por oferecerem maior flexibilidade em seus contratos para alocação, como os galpões logísticos.  

Em geral, os FIIs sofreram em 2021 em razão de fatores como a alta nos juros e na inflação, por eventos adversos no cenário político-institucional brasileiro e pela crise sanitária de Covid-19, da mesma forma que as ações, igualmente negociadas em Bolsa. Em 2021, o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX), benchmark para essa classe de ativos, recuou 2,29%. 

Para os investidores de FIIs, é importante redobrar a atenção aos fatores que influenciam o desempenho dos fundos e aos quais eles estão atrelados. Assim, pode-se analisar a tolerância aos riscos oferecidos por essa classe de ativos. Neste ano de 2022, pode ser interessante observar que, em geral, os fundos estão descontados, e procurar pelos que têm potencial para gerar bons retornos a sua carteira. 

Mas, então, como calcular o dividend yield? 

Para calcular o dividend yield,  é importante se informar sobre o valor de dividendos pagos nos doze meses anteriores e sobre o preço atual do fundo. Por exemplo, se o dividend yield de um fundo for de 10%, isso quer dizer que ele remunera 10% do valor da cotação atual (o preço utilizado no cálculo).  

Ou seja, o dividend yield representa a relação entre os dividendos pagos no período e o valor da cota: 

DIVIDEND YIELD = (dividendos pagos no período/valor da cota) x 100.  

Você também pode calcular o quanto as cotas se valorizaram ou se desvalorizaram num determinado período: 

Valorização = (variação do valor/preço inicial) x 100. 

 Ao menos, por lei, 95% do lucro dos FIIs são distribuídos aos cotistas semestralmente, mas a maioria das gestoras opta por pagar todos os meses. 

Fique de olho em outros fatores 

Lembre-se que apesar de ser um expressivo indicador para um FII, o dividend yield não pode ser o único parâmetro de decisão.  

Dentre outros fatores, é importante checar também o histórico da gestora, a viabilidade, a visibilidade e a missão do projeto do ativo, evitar fundos pouco diversificados e com baixa liquidez, além de buscar informações mais específicas como a taxa de vacância dos imóveis e a qualidade dos ativos e contratos estabelecidos pelo fundo. 

Tem interesse em investir no mercado imobiliário? Acesse o site da TG Core e conheça nossos fundos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima