Leitura: 3 min

Investir em fundos imobiliários ou em ações? Descubra!

A decisão sobre o tipo de aplicação financeira é essencial para garantir um retorno satisfatório. É necessário considerar o seu perfil de investidor, o valor disponível para aplicar, as possibilidades de ganho e os riscos de cada operação. Para quem está começando a principal dúvida é: vale mais a pena investir em fundos imobiliários ou em ações?

Para resolver essa questão, elaboramos um artigo objetivo e claro mostrando as diferenças entre os dois tipos de investimentos e como eleger o melhor para você. Confira, a seguir.

Como fazer um bom investimento?

O mundo dos investimentos oferece ótimas oportunidades para quem deseja conquistar a independência financeira e planejar um futuro tranquilo para si e para a família. Só que, como em qualquer outra atividade, é preciso dedicar-se ao conhecimento para aumentar as chances de sucesso.

Primeiro, é necessário saber qual o seu perfil de investidor e organizar as finanças, para evitar contrair dívidas que venham a afetar suas reservas. O segundo passo é estabelecer objetivos que deseja alcançar em curto, médio e longo prazo. Por fim, defina uma estratégia de ação e um cronograma para seu plano.

Depois de cumprir os procedimentos acima, basta abrir uma conta em uma corretora e começar a investir.

Qual o melhor investimento: ações ou fundos imobiliários?

As ações representam uma determinada participação no capital de uma empresa. Mas isso não significa que ao comprar ações do Facebook você possa decidir o futuro da empresa com Mark Zuckerberg.

Ao realizar este tipo de aplicação, você acredita no potencial de crescimento da empresa e espera prosperar junto com ela, colhendo os resultados com o passar do tempo.

Porém, as ações sofrem oscilações no seu valor e existe o risco de desvalorização, de acordo com as atividades exercidas pela empresa e sua posição no mercado. Caso ela venha a perder competitividade, a ação irá perder valor e causar perdas financeiras aos seus acionistas, que assumem o prejuízo até se a empresa falir.

Já os fundos imobiliários (FII) são um meio para que você possa ter uma participação em empreendimentos do setor aportando apenas uma fração do capital necessário para a aquisição de uma unidade (apartamento, sala, loja).

Nesse caso, mais do que a valorização da cota, os investidores esperam receber dividendos provenientes da receitas obtidas com as unidades imobiliárias. Investiu em um FII de um hotel? Recebe uma participação sobre as diárias. Tem cotas em um shopping? Recebe o proporcional da locação das salas.

Além disso, para quem detém menos de 10% das cotas como pessoa física, em fundos negociados em bolsa com mais de 50 investidores, os dividendos são isentos de Imposto de Renda.

Assim como as ações, fundos imobiliários também dependem do desempenho das empresas que alugam ou compram imóveis. Porém, mesmo em caso de falência ou inadimplência, o FII ainda é detentor do imóvel e, portanto, consegue remunerar os investidores através da venda deste. Ou seja, mesmo nos piores casos, ainda haverá um valor substancial para devolver aos cotistas.

Quais os benefícios de investir em fundos imobiliários?

Separamos, a seguir, os principais benefícios dos investimentos em FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário). Confira.

Segurança

A aplicação no setor imobiliário é, historicamente, uma das mais seguras do mercado financeiro. Imóveis são bens duráveis e que estão em constante demanda, pois todo mundo precisa de um lugar para morar e para trabalhar.

Concretude

Qualquer empresa pode, em determinado momento, falir. Mas ao investir em fundos imobiliários você passa a ser proprietário de parte de um empreendimento físico que, salvo em casos extremos, deve continuar a existir por muito anos.

Liquidez

O investidor de FII não fica preso ao investimento e as participações podem ser negociadas como se fossem ações, desde que listadas na Bolsa. Isso faz com que seja uma ótima opção para quem quer investir em imóveis, mantendo a liquidez da aplicação, já que são mais fáceis de negociar do que um bem imóvel (casa, apartamento).

Diversificação

Investir em fundos imobiliários é um grande universo. É possível participar de empreendimentos em diferentes regiões, dos mais diversos portes e com finalidades distintas. É possível ser cotista em um shopping em Goiás, de um resort na Bahia e de um prédio comercial em São Paulo, por exemplo.

Os FIIs são, também, uma opção para diversificar a carteira de investimentos, diminuindo as chances de perda no caso de uma aplicação não dar certo.

Proteção contra a inflação

Os dividendos dos fundos imobiliários, provenientes das receitas obtidas com os empreendimentos, costumam ter os valores corrigidos periodicamente, evitando perdas com a inflação ao longo do tempo. Porém, em casos atípicos, o proprietário pode abrir mão da correção para evitar a vacância no imóvel, por exemplo.

Como pudemos ver, investir em fundos imobiliários tende a ser uma melhor opção quando comparada ao mundo das ações, proporcionando valorização a longo prazo.

Quer começar a investir? Entre em contato com a TG Core e saiba como podemos ajudar você a melhorar sua realidade financeira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
    Rolar para cima