Leitura: 2 min

Entenda a importância da gestão ativa para os fundos de investimento

Gestão ativa ou passiva são conceitos que estão diretamente ligados aos riscos e rentabilidade de um fundo de  investimento. No primeiro caso, a performance da carteira do fundo estará diretamente atrelada às ações do gestor.

Entretanto, mais importante que entender as diferenças entre ambas é entender seu funcionamento, principais características, além das vantagens e desvantagens. Sobre esses aspectos é o que discorreremos neste artigo. Acompanhe!

A gestão ativa dos fundos de investimento

A gestão ativa nos fundos de investimentos é aquela que proporciona ao gestor mais liberdade na hora de selecionar os ativos que devem compor o portfólio do fundo. Geralmente, essa informação é disponibilizada para o investidor no momento da aquisição de suas cotas.

O objetivo, portanto, é buscar rendimentos acima da média, o que acaba exigindo mais dos gestor, afinal, esse desejo também faz com que os riscos envolvidos nos processos sejam maiores.

Nesse sentido, a gestão ativa funciona da seguinte forma: o gestor tem a liberdade de escolher entre os diversos ativos que podem ser movimentados pelo fundo, sempre pesando o gerenciamento de risco e as oportunidades de ganho.

A importância desse processo

Conhecer o tipo de gestão que é executada em um fundo de investimento é crucial para a escolha da aquisição de suas cotas. Apesar da grande maioria estar nessa modalidade, você precisa ter atenção, pois os ativos que optam pela gestão passiva, quando há pouca intervenção dos gestores, podem proporcionar uma rentabilidade menor e riscos desproporcionais.

As vantagens e desvantagens da gestão ativa

Entre as vantagens, podemos destacar escolhas mais assertivas por parte do fundo, afinal, o gestor analisará com cautela cada um dos títulos e ativos que podem ser adquiridos e com toda a sua expertise e experiência realizará a aplicação com o capital dos cotistas.

A principal das vantagens é a possibilidade de retornos acima do benchmark — que são indicadores de referência para saber se a rentabilidade do fundo está adequada ao mercado — nos casos em que a equipe de gestão consiga capturar e entender as nuances do mercado e fazer as melhores escolhas nos momentos corretos.

Por outro lado, também existem algumas desvantagens, a principal delas é o fato de as taxas de administração e performance serem maiores. Afinal, os gestores cobrarão mais caro para atuar em um fundo de investimento de forma integral.

A gestão ativa na prática

Por fim, é necessário que você saiba como escolher os fundos que tenham gestão ativa, caso seja de seu interesse. Essa informação é dada ao investidor antes da aquisição das cotas. Depois que ele fizer o aporte será necessário avaliar com cautela os relatórios gerados periodicamente pela administração do fundo.

Esses documentos devem ser utilizados pelo investidor para entender se as ações tomadas pelo gestor proporcionaram os resultados esperados.

Agora que você já sabe como funciona a gestão ativa, suas vantagens e desvantagens, chegou o momento de procurar o fundo de investimento que atende às suas expectativas quanto a esse ponto. Portanto, não perca mais tempo e comece a procurar!

Antes de fazer isso, compartilhe esse post em suas redes sociais para que mais pessoas também conheçam esse conceito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
    Rolar para cima