Leitura: 3 min

Conheça os mitos e verdades sobre fundos de investimento imobiliários

Desde o seu marco legal em 1993, os fundos de investimento imobiliários (FIIs) têm se tornado um dos “queridinhos” dos investidores por oferecer uma das alocações de capital que sempre esteve entre as favoritas dos brasileiros na ideia de um porto seguro: o investimento em imóveis.

Hoje, são centenas de FIIs listados na B3, negociados a preços bem acessíveis. Dados da B3 apontam que, desde o início da criação do IFIX, os FIIs alcançaram uma valorização superior ao Ibovespa (maiores ações negociadas na bolsa) e ao IMOB (ações de empresas ligadas ao mercado imobiliário). Além disso, em 2019 já contam com um volume financeiro consolidado de R$ 84 milhões, bem acima dos anos anteriores.

A maior disponibilidade de informações ao investidor possibilita estudá-los e entendê-los com maior facilidade. Porém, em um mar de informação cruzada, especialmente nos meios online, o investidor pode, por vezes, se sentir perdido e desorientado sobre o que é mito e o que é verdade sobre este tipo de aplicação.

No decorrer do artigo, vamos esclarecer alguns desses mitos e verdades para você investir com mais confiança!

Como funcionam os fundos de investimento imobiliários?

Os FIIs têm uma mecânica de funcionamento relativamente simples:

  • os investidores investem dinheiro no FII e recebem cotas correspondentes à sua participação nele;
  • o FII constrói ou adquire algum imóvel (shoppings, galpões, escritórios etc) ou outro ativo ligado ao mercado imobiliário;
  • o imóvel é alugado ou vendido para lojistas, empresas ou outros;
  • o fundo recebe receitas decorrentes dessas operações;
  • o gestor administra o fundo e seus resultados;
  • o FII distribui pelo menos 95% dos lucros para os seus cotistas.

Desconfie! O que é mito sobre os FIIs?

Por ser atrativo, muito conteúdo tem sido gerado sobre os fundos de investimento imobiliário. Aqui estão alguns mitos que você deve conhecer sobre o assunto:

  • “os FIIs são muito caros”. Na verdade, é possível investir com pouco dinheiro. É bastante comum encontrar fundos cujas cotas são negociadas em torno de R$100 cada;
  • “os dividendos recebidos têm imposto alto”. Pelo contrário, os rendimentos estão isentos de IR;
  • “os FIIs têm baixa liquidez”. Ao contrário, com o aumento do número de investidores, a liquidez dos FIIs tem aumentado a cada ano;
  • “o FII não precisa de um bom gestor”. Enorme mito: a capacidade do gestor influencia diretamente no desempenho do fundo;
  • “é ótimo para especulação de curto prazo”. Na verdade, os FIIs tem menos volatilidade, quando comparado a outros ativos de renda variável, como ações, por exemplo;
  • “os FIIs são só para os grandes investidores”. Mentira! Maior parte dos FIIs negociados na bolsa de valores são acessíveis ao público em geral;
  • “o investidor pode resgatar as cotas quando quiser”. Meia-verdade. Na prática, quando a pessoa precisar resgatar o dinheiro aplicado, ela deve vender as suas cota na B3 para outro investidor. Os FIIs são fechados e não permite resgates de recursos.

E quais são as verdades, afinal?

Por outro lado, aqui estão algumas verdades sobre os FIIs:

  1. são investimentos de renda variável;
  2. ao comprar uma cota, você vira sócio/proprietário em conjunto de um ou mais imóveis.
  3. os dividendos pagos aos cotistas são isentos de Imposto de Renda, para pessoas físicas que detenham menos de 10% das cotas do fundo (válido para fundos negociados em bolsa com mais de 50 cotistas);
  4. quando você vende as cotas dos FIIs com lucro, você deve pagar IR na alíquota de 20% sobre o lucro líquido.
  5. os FIIs devem ser informados todos os anos na declaração do Imposto de Renda;
  6. alguns fundos têm gestão ativa (visa superar algum índice de referência e promover maiores retornos) e outros têm gestão passiva (visa apenas gerar uma renda recorrente);
  7. é importante diversificar a carteira de ativos para mitigar o risco;
  8. são mais práticos e apresentam maiores benefícios do que investir em imóveis diretamente;
  9. FIIs tem taxas de administração, mas são relativamente pequenas comparadas a outros tipos de fundo;
  10. os FIIs oferecem um grau previsibilidade sobre os resultados dos alugueis.
  11. alguns FIIs tem prazo determinado para terminar.

Como você pôde notar ao longo do artigo, os fundos de investimento imobiliários são simples de entender (mas não são simplistas). Estudando-os e comparando-os é possível tomar decisões que vão ser positivas para a sua carteira e independência financeira. Uma boa página para acessar dados sobre os FIIs e escolher o ideal para você é o Funds Explorer.

Com essa noção sobre os mitos e verdades já se sente mais seguro para investir, não é mesmo? Ficou com mais alguma dúvida? Então envie pra gente a sua pergunta ou conte sua experiência com os FIIs e até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
    Rolar para cima