Leitura: 3 min

Aprenda o que é ciclo da vida financeira e confira seu estágio

Você já parou para pensar que a sua vida financeira pode ser composta de ciclos que são comuns a mais de uma pessoa? Pois é! Entender essa evolução é um dos passos mais importantes na acumulação de patrimônio.

Pense na sua vida financeira como um gráfico. Se separarmos em etapas, podemos identificar fases claras que ajudam a entender em que estágio desse ciclo você está. E para que você possa passar por todas essas etapas com sucesso, algumas premissas não devem ser esquecidas:

  • gastar menos do que ganha;
  • procurar viabilizar novas fontes de renda;
  • investir de forma diversificada;
  • tornar o investimento mensal um hábito;

Por falar em etapas do ciclo de vida financeira, como podemos segmentá-la? É isso que vamos explorar nesse artigo. Leia até o final e identifique em qual estágio você está!

1ª fase: acumular

A primeira fase do ciclo de vida financeiro – até por volta dos 40 anos – é a acumulação. Esse é o momento de ascensão da curva de crescimento do gráfico, no qual é traçado um plano para a poupança mensal. É aqui onde mudamos o mindset e estabelecemos uma visão de longo prazo para os investimentos, tendo em vista o poder dos juros compostos. Neste momento, também estabelece-se uma reserva de emergência.

Na acumulação, o investidor busca investimento de valor. Como se trata de uma visão de longo prazo, quanto antes começar, melhor. Aqui, também define-se o seu perfil de investidor, conforme a sua aversão ao risco, e busca-se maiores rentabilidades e diversificação nos investimentos.

Com esses pilares estabelecidos, começa-se a poupar regularmente, acumulando o patrimônio que servirá para viver de renda no futuro. Ou seja, você trabalha e visa um futuro em que as suas economias passam a trabalhar para você.

2ª fase: aumentar

Em um segundo momento — na meia idade, aproximadamente —, o investidor busca maneiras de aumentar a renda e o poder de acumulação, bem como revê seu perfil de exposição ao risco, buscando maiores rentabilidades nos investimentos.

Com maior renda, o investidor também deve buscar maneiras de blindar o patrimônio economizado e reinvestir os lucros, como os dividendos recebidos em ações ou fundos imobiliários. Nessa fase, assim como na primeira, deve-se estar com maturidade suficiente para entender e não se desesperar com as oscilações de curto prazo, comuns nos ciclos econômicos.

No final da segunda fase, a curva de crescimento do gráfico começa a cair e assim permanece até alcançar a aposentadoria.

3ª fase: preservar

A última fase, já na terceira idade, é o momento de preservar o patrimônio acumulado e agir de forma mais conservadora, uma vez que a renda proveniente do trabalho será menor. É o tempo da independência financeira, hora de usufruir da renda gerada pela remuneração do capital acumulado ao longo de décadas.

Isso demanda investimentos mais conservadores com alta liquidez, que estejam alinhados com a sua necessidade de preservar seu patrimônio e usufruir de resgates frequentes. Deve-se pensar também em possibilidades que viabilizem a sucessão de patrimônio para os filhos ou pessoas próximas a você.

Conclusão

Logo, é fundamental ter uma visão de longo prazo (20, 30, 40 anos ou mais) e manter a constância nos aportes mensais, deixando o poder dos juros compostos atuar a favor da sua vida financeira. Identifique em qual momento você está atualmente e faça as os ajustes necessários.

O ciclo de vida financeira não é uma ciência exata, mas uma aproximação de como você pode aumentar suas reservas de capital ao longo do tempo. Mesmo que você comece a poupar mais tarde, o importante é dar o primeiro passo! A expectativa de vida nunca foi tão alta na história e já está comprovado que os sistemas de previdência se tornarão muito complexos conforme o envelhecimento da população.

Portanto, para garantir um bom nível de vida no futuro, é preciso construí-lo agora. Outro importante fator é reinvestir os dividendos e lucros ao longo do tempo, aumentando seu poder de multiplicação do patrimônio.

Então, já identificou em qual momento você está? Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e ajude seus amigos a também terem consciência das principais fases da vida financeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários
    Rolar para cima