Leitura: 3 min

Indicadores econômicos: o que são e como influenciam o mercado imobiliário?

Além da Selic, conheça outros indicadores econômicos importantes para quem investe em imóveis

Para quem não está muito acostumado, pode até parecer uma sopa de letrinhas: Selic, IPCA, IGP-M, etc. Porém, os indicadores econômicos funcionam como um termômetro, ajudando a entender o que está acontecendo na economia, estimando dados e influenciando diretamente no cotidiano da população.

E essa influência também se dá no mercado imobiliário. Por isso, saber quais são os indicadores econômicos que impactam o setor é primordial para quem investe em imóveis, quem quer comprar, vender e até para aqueles que vivem de aluguel. Confira os principais:

Indicadores econômicos, o que são e como influenciam o mercado imobiliário

Sumário do artigo

Taxa Selic

Entre os indicadores econômicos mais relevantes, a Taxa Selic é a taxa básica de juros no Brasil. Todos os juros praticados no país, de empréstimo a investimento, são calculados com a Selic no radar. Os financiamentos imobiliários não fogem disso. E é aí que a Selic se torna um indicador central no setor.

Como a construção e a compra de imóveis demandam um volume relevante de recursos, normalmente essas atividades são feitas por meio de financiamentos. Assim, quando a taxa de juros diminui, as linhas de crédito ficam mais baratas, aquecendo a construção e a comercialização de imóveis.

Agora, quando o valor da taxa sobe, o custo do financiamento acompanha o ritmo e fica mais caro, reduzindo os incentivos para o setor.

A taxa básica de juros fechou no ano de 2021 com 9,25% ao ano e o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) já sinalizou nova alta para fevereiro de 2022.

IGP-M 

O IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) é um índice que impacta diretamente o custo de vida do cidadão. De forma ampla, ele pode ser explicado como um indicador de preços. Ao longo dos anos, acabou se tornando muito utilizado nos contratos de aluguel para orientar seus reajustes.

Em dezembro de 2021, O IGP-M subiu 0,87%. Entre janeiro e dezembro do ano passado, o índice acumulou alta de 17,78%. Em dezembro de 2020, havia subido 0,96% e acumulava alta de 23,14% em 12 meses.

A elevação do IGP-M no contexto econômico da pandemia fez com que muitos locatários e inquilinos negociassem a utilização de outro índice para a correção dos contratos de locação como, por exemplo, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, o IPCA.

IPCA

O IPCA é um dos principais indicadores de inflação do país. O maior objetivo é verificar a variação dos preços de determinados produtos e serviços comercializados no varejo.

O IPCA considera o consumidor amplo porque, em seus cálculos, abrange mais de 90% da população urbana do país. De maneira geral, o índice determina se as previsões são de alta, de queda ou de estabilidade.

Em relação à compra e venda de imóveis, o IPCA é utilizado para reajustes monetários em alguns contratos de financiamento e, como visto acima, também de aluguel.

A mediana apurada no primeiro Boletim Focus de 2022, para o IPCA, continua a apontar para o segundo ano consecutivo de rompimento da meta a ser perseguida pelo Banco Central (BC). A projeção continuou em 5,03%, contra 5,00% do teto da meta deste ano. Há um mês, a previsão era de 5,02%.

INCC 

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) é um dos principais indicadores do mercado imobiliário, especialmente para as construtoras, porque os números são essenciais para que elas calculem o valor dos empreendimentos.

O INCC tem como base a análise do aumento dos custos para a compra de insumos direcionados à construção de imóveis. É representado por sete cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Recife e Salvador. Apesar disso, é considerado parâmetro em todo o território nacional.

Com ele, as construtoras calculam quais reajustes podem ocorrer antes da finalização e entrega da obra. Assim, o índice permite que as empresas tenham uma previsão do valor que deve ser fixado na cobrança de um imóvel.

Entender como os indicadores influenciam o setor é uma forma de fazer uma leitura mais aprofundada do cenário e, com isso, garantir melhores investimentos e negócios ou mesmo se proteger de possíveis riscos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima